terça-feira, 1 de junho de 2010

Obrigado por Fumar

É engraçado que, antes mesmo de assistir Obrigado por Fumar (Thank you for smoking, do longínquo 2005) eu pensava em escrever sobre ele aqui na sessão de Recomendações.

Sabe-se lá porque, eu imaginava que fosse gostar do filme, mesmo detestando com todas as minhas forças o trabalho mais famoso do diretor Jason Reitman, Juno.

Mas não foi bem isso que aconteceu.

O filme, leve e um tanto descompromissado, narra a história de Nick Naylor (brilhantemente interpretado por Aaron Eckhart) que é um contratado da indústria de cigarros para, justamente, defendê-los. Indo a programas de televisão, e bolando estratégias para conseguir, no mundo atual dominado pela geração saúde e pelo politicamente correto, introduzir o desejo de fumar nas pessoas. Por conta do emprego ele é mal visto pela sociedade em geral, pelo filho e por todo mundo que ele não tenha a oportunidade de conversar.

Afinal, se o filme tem um trunfo, ele está aí, Nick Naylor é um personagem sensacional, cínico até o último fio de cabelo, seria capaz de convencer o Diabo a dar dízimos a igreja. Mas, embora o filme tenha algumas boas e ácidas piadas, e um protagonista carismático, fica a impressão de que falta algo, por isso ele não entrou na sessão de Recomendações.

E talvez, o sentimento seja mais de decepção do que qualquer outra coisa, o filme em si não é ruim, mas a idéia promete muito mais. Nick poderia passar por muitas outras situações divertidas e interessantes, onde então, o ótimo personagem seria melhor aproveitado, mas infelizmente não é isso que acontece, afinal, a força do filme está toda em Nick.

O roteiro parece um pouco apressado, a discussão é ótima, mas mal aproveitada. No fim das contas, Obrigado por Fumar (onde, incrivelmente, ninguém fuma) vale pela diversão e pelo tom crítico e sarcástico das piadas, mas poderia ser muito mais.

***

Em breve, um super novidade aqui no blog, eu e o Fabrício estamos preparando um podcast super divertido e emocionante com muita música boa e, sei lá, convidados legais. Nada famosos, mas legais , você não perde por esperar.

E eu definitivamente não sei fazer propagandas.

Ah, e siga-nos no twitter também, porque é tão desanimador ter apenas dezesseis seguidores naquilo…

2 comentários:

Gabi Petrucci disse...

2005? Na minha cabeça era mais recente. Mas de qualquer forma, não tenho vontade de assistí-lo! :P
Mas tenho vontade de assistir Juno! Sério!

E morra de inveja, tenho TRINTA E QUATRO seguidores! Só não me pergunte como consegui!

Beijo

leandro disse...

"E morra de inveja, tenho TRINTA E QUATRO seguidores! Só não me pergunte como consegui"
ai, sua grossa!
eiuaheiahehauiehi
brincadeira, não me incendeie por favor O_O

cara...
o protagonisata fuma. Se não me engano, tem uma parte engraçada no filme em que ele só sobrevive a um inconveniente porque o organismo dele já estava acostumado com nicotina. E ele até usa isso como um argumento a favor do consumo de cigarros.
E, nem vi quem escreveu, foi o Henrique né?
(eaiuheiuaheuahuehauiehauiehi)
Depois que eu vi esse filme que eu te falei UMA ÚNICA VEZ que o importante numa discussão (pode ser, debate) nem sempre é você estar certo, basta apenas que você comprove que o outro lado está errado.
;D
O problema agora é você se lembrar que eu disse isso, e que isso foi dito no filme. u_u

enfim...
ow gay, "brotaremos" na sua casa hoje após o almoço, eu acho, ok?
Que bom então!
Vou levar a Gui tá?
hã hã hã

eiuaheiahuiehaeuiaheuahuehuiaehuiaheuahuehauehuaheuiaheuiahuehauiehauiheuiaheuiahuehauehuiaheuahuiehauieaheuahuehauie
que lixo --'
enfim, duvido que você leia isso a tempo, e também nem terá como me responder, então, eu vou ligar para você.
É bom que esteja acordado, caso não esteja, sinto muito porque te acordarei.

MUaHAHaHAHAHAhAHAhAhaHaHaha