terça-feira, 27 de abril de 2010

Coração Louco

O que dizer no meu primeiro post sobre filmes? Levei uma sorte danada de ter escolhido um filme fácil, não que os outros não sejam, mas a gente se sente melhor quando faz algo que gosta, sobre o que gosta.

E sem enrolação, Coração Louco (Crazy Heart), é um filme muito bom e gostoso de assistir, ou seja, eu gostei. Talvez, não pelo roteiro, que é bastante triste, objetivo do autor, e sim pela trilha sonora, aposto que vai perceber que eu e o Henrique nos encantamos facilmente, ou não, com a musicalidade dos filmes, enfim, o drama se desenvolve com muito country, e country do bom!

Jeff Bridges vive um cantor fracassado, viciado, com sérios problemas de saúde e financeiro, chamado Bad Blake, que já foi um grande nome da música, mas ultimamente não passa por bons momentos. O ator foi muito feliz em ser chamado para o cargo, onde demonstrou sentimentos a flor da pele, um papel um tanto complicado, mas que se for bem representado, certamente irá ser recompensado. E não foi diferente, Jeff Bridges é hoje o melhor ator, ganhador do Oscar e do Globo de Ouro 2010.

Scott Cooper (diretor) explorou o máximo que pode de Jeff, que no filme não foi “apenas” um ator, mas também um cantor, por sinal, de alta qualidade. Com uma voz marcante e sotaque sulista, Blake demonstra o porque de já ter alcançado o sucesso, embora não muito reconhecido pela nova geração da música country.

Entretanto, logo no começo do filme eu me per guntava, será que o filme inteiro vai ser assim, tristão? Nenhum romancezinho? Nenhuma paixão? Mas, sem muita demora, fui respondido, e sim, o filme tem um romance. Maggie Gyllenhaal indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante, interpreta Jean Craddok uma jornalista local, de uma pequena cidade, mãe solteira de um filho de 4 anos, e em uma de suas primeiras entrevistas com um artista famoso, ela se apaixona, por - óbvio - nada mais, nada menos, que Bad Blake. Todavia, que um romance, seja regado de pegações e sexo, o drama trás um amor mais light, que por parte do cantor, é enxergado de forma diferente, tratando-se de uma família, já que se envolve diretamente e emocionalmente com o pequeno Buddy (Jack Nation).

Crazy Heart também é detentor de mais um Oscar 2010, o de Melhor Canção Original com The Weary Kind.

Então está aí, se você curte um drama, que tem como base a música, Coração Louco é uma ótima pedida.

***

Siga o @pdemicroondas no Twitter pra não morrer de saudade.

 

4 comentários:

Gabi Petrucci disse...

Queria ter assistido para saber o que comentar ao certo! :T
Mas aí quaaaando eu assistir lembrarei desse post! :D

Rafael disse...

Boa resenha...
Mas achei o filme bem chato. É, eu tenho um gosto estranho pra filmes.
hauhau

Abraço

Júlia e Rafaella disse...

Odeio mú sica country, e mais do que isso odeio musicais...maa o Jeff Bridges é um otima ator U-U

Ana Flavya disse...

Não conheço o filme mããs mesmo assim resolvi comentar ;P se um dia eu ver eu conto *oo*